Posts Tagged ‘silver jews’

Silver Jews – The Arizona Record (EP)

17/12/2009


The Arizona Record [1993] <- Download

O Silver Jews já apareceu aqui com seus três primeiros álbuns: Starlite Walker, The Natural Bridge e American Water – postados logo após o anúncio do fim da banda. The Arizona Record (Drag City, 1993) foi o EP que antecedeu estes clássicos, mas suas nove faixas remetem mais às demos do Pavement do que à discografia do Jews. A gravação é tão precária que até parece um ensaio capturado por uma secretária eletrônica. Stephen Malkmus (creditado no encarte como Hazel Figurine) e David Berman nunca soaram tão harmonicamente caóticos, alternado vocais esganiçados e riffs desconexos para criar algumas das melhores músicas de suas vidas. Bob Nastanovich faz suas batidas primárias de sempre, consciente de que seu papel é deixar os outros dois se entenderem.

Secret Knowledge Of The Backroads[
I Love The RightsThe War In Apartment 1812

O Silver Jews já apareceu aqui com seus três primeiros álbuns: Starlite Walker, The Natural Bridge e American Water – postados logo após o anunciou do fim da banda. The Arizona Records (Drag City, 1993) foi o EP que antecedeu estes clássicos, mas suas músicas remetem mais às demos do Pavement do que à discografia do Jews. A gravação é tão precária que até parece um ensaio capturado por uma secretária eletrônica. Stephen Malkmus (creditado no encarte como Hazel Figurine) e David Berman nunca soaram tão harmonicamente caóticos, alternado vocais esganiçados e riffs desconexos para criar algumas das melhores músicas de suas vidas. Bob Nastanovich faz suas batidas primárias, consciente de que seu papel é deixar os outros dois se entenderem.

Silver Jews – American Water

27/01/2009

american

American Water [1998] <-Download

Quando compôs American Water, David Berman seguia os preceitos da New Openness, uma filosofia de vida criada por ele mesmo. A Nova Abertura prega que nós não devemos nos reprimir, e sim fazer sempre o que estivermos afim, independente de isso ser uma coisa boa ou ruim. Uma postura que não destoa muito das letras dos discos anteriores.

Stephen Malkmus gravou as guitarras, desta vez bem menos displicentes do que em Starlite Walker, e colaborou em duas composições, Blue Arrangements e Federal Dust. A sonoridade que predomina em American Water é um meio termo entre Terror Twilight e a palatável estréia solo de Malkmus, que na época ainda nem tinham sido gravados. Apenas dois momentos revisitam o passado recente, a country Honk if You’re Lonely e a emblemática Random Rules.

Em 99, o Alexandre Matias publicou uma ótima resenha deste disco, que veio acompanhada de uma entrevista com David Berman. Leitura obrigatória!

Silver Jews – The Natural Bridge

27/01/2009

natural
The Natural Bridge [1996] <-Download

No final de 1995, o Silver Jews entrou em estúdio para produzir o sucessor de Starlite Walker. Mas as sessões não agradaram David Berman, que abortou as gravações, mesmo já tendo pago o aluguel do estúdio. Para não perder dinheiro, Malkmus e os bateristas Nastanovich e Steve West acabaram gravando Pacif Trim, EP do Pavement que inclui a ótima I Love Perth.

Meses depois, Berman chamou outros amigos para ajudá-lo e, no final de 96, lançou um registro predominantemente acústico. The Natural Bridge é um disco de cabeceira, como quase todos os outros lançados pela banda. Você pode escutá-lo dezenas de vezes sem pular nenhuma faixa, mas vai acabar repetindo pelo menos duas: How To Rent a Room e Inside The Golden Days of Missing You.

Silver Jews - Inside The Golden Days of Missing You

Silver Jews – Starlite Walker

26/01/2009

starlite
Starlite Walker [1994] <- Download

David Berman demorou 5 anos pra lançar seu primeiro álbum cheio, tempo necessário para Cut Your Hair emplacar na MTV e para o som do Silver Jews tomar forma, deixando pra trás as gravações excessivamente lo-fi dos primeiros EPs. Enquanto o Pavement fazia referência a outros nomes da cena alternativa, o Jews sempre foi menos antenado e mais orgânico – uma guitarra preguiçosa e um vocal embriagado alternando entre o folk e o country. Momentos mais rock são exceções em Starlite Walker, inevitáveis num álbum em que 3 integrantes do Pavement participaram.

Introduction II abre o disco só com voz e violão, um recado simples e direto para o ouvinte se assentar ali no canto da cozinha enquanto David abre mais uma cerveja antes de começar a contar seus causos. Estabelecida a cumplicidade, ele dá conselhos (Advice to the Graduate), fala de seus sonhos (Trains Across the Sea), oferece abrigo (Living Waters) e expõe seus medos (New Orleans).

Berman e Malkmus são dois lados da mesma moeda. O único antídoto possível para o sarcasmo exalado quase que sem querer a cada verso do Pavement é a comovente sinceridade encontrada aqui. Identificação imediata, você compreende na hora por que Stephen Malkmus vira peça de apoio sem problema algum. A admiração é mútua, e imaginar uma banda onde ambos colaborassem igualmente é apenas imaginar a maior banda alternativa de todos os tempos.

O CD vai chegando ao fim e parece que vocês bebem juntos há anos. Quando toca Rebel Jew, você já está convencido da sinceridade daquilo a ponto de acreditar que Jesus morreu pelos seus pecados, que o Texas deveria ser um estado independente e que existem garotas realmente legais. The Silver Pageant encerra o disco com uma jam alcoólica, e ao fundo risos se misturam a brindes de longnecks. Então você se toca que está na sua vez de buscar a cerva.

Fim do Silver Jews

26/01/2009

berman
Uma das bandas mais importantes dos anos 90 não existe mais. Esta semana, David Berman anunciou o fim do Silver Jews num fórum dedicado à banda. Entre aqui e entenda os motivos que o levaram a tomar esta decisão.

Em 89, David Berman convidou dois amigos da faculdade para tocar algumas músicas que estava compondo. Os tais amigos eram Stephen Malkmus e Bob Nastanovich, que no mesmo ano se juntaram a Scott Kramber num projeto paralelo chamado Pavement. Depois da consagração de Slanted & Enchanted, Berman passou a contar com o apoio de membros do Pavement apenas em alguns discos.

Um dos motivos para a diferença do sucesso do Jews e do Pavement é a personalidade depressiva de David Berman, que também dividia seu tempo entre a publicação de livros e as drogas. Em 2004, o crack levou-o a uma tentativa de suicídio interrompida a tempo por sua namorada, a baixista Cassie. Recuperado, no ano seguinte ele fez a primeira turnê em 16 anos de carreira, tocando nos Estados Unidos, Europa e Israel. A passagem pela terra santa rendeu um documentário, Silver Jew, lançado ano passado pela Drag City. Em 2008, a gravadora também colocou no mercado o último disco da banda, o elogiado Lookout Mountain, Lookout Sea.

Desde o ano passado, boatos davam conta de que o Silver Jews faria um show no Brasil ao lado do Of Montreal. Ficamos esperando a confirmação para postar três dos seis CDs da banda. O que era para entrar no clima do show, agora serve como uma despedida. Estes são os 3 primeiros, tão indispensáveis quanto qualquer um do Pavement.

ps.  Neste blog de Portugal tem uma entrevista que ajuda a entender um pouco a personalidade de David Berman, suas brigas como pai, o consumo de drogas, a relação com o judaísmo, a amizade com Stephen Malkmus, a recusa de fazer shows…