Posts Tagged ‘siltbreeze’

Psychedelic Horseshit – Magic Flowers Droned

06/12/2010

Magic Flowers Droned [2007] <- Download

O Psychedelic Horseshit encabeça, ao lado do Times New Viking, a lista de bandas excepcionais surgidas em Ohio nos últimos tempos. Liderado por Matt Whitehurst, o trio formou-se na mesma Columbus do TNV, em 2005. Ao longo dos dois anos seguintes lançaram uma série extremamente barulhenta de CD-Rs e compactos, compilados no ano passado em Golden Oldies.

Magic Flowers Droned saiu em 2007 pela Siltbreeze — casa de Eat Skull, Sic Alps, Pink Reason, TNV e mais. É o primeiro álbum do Psychedelic Horseshit, e soa como uma evolução das gravações anteriores.  Com uma dose saudável de boa vontade, é possível discernir, sob a abrasividade lo-fi característica de Ohio, um eficiente núcleo pop que faz lembrar o som da Flying Nun — bem como Mike Rep, patrono da tosqueira de Columbus, e Alastair Galbraith, cria da cena neozelandeza e descoberta da Siltbreeze. A cota de ruído e experimentação é generosa, sem dúvida, mas não chega a ser gratuita; está lá com um propósito, dialogando com as canções e criando uma atmosfera que qualifica o Psychedelic Horseshit como um dos grupos mais instigantes e distintos em atividade.

Alastair Galbraith – Morse / Gaudylight

16/03/2010

Morse / Gaudylight [2006] <- Download

No início dos anos 80, o The Rip, primeira banda do ainda adolescente Alastair Galbraith, lançou dois EPs pela Flying Nun. Depois disso, ao longo da década, o neozelandês integrou outros grupos, tornando-se nome importante na cena de Dunedin. O mais conhecido desses grupos é o Plagal Grind, que tinha em sua formação Robbie Muir e Peter Jefferies, do Rip, além de David Mitchell, futuro membro do 3D´s.

O clássico primeiro disco-solo de Galbraith, Morse, saiu em 1992, precedido em um ano pelo EP Gaudylight — ambos na americana Siltbreeze. Trazendo alguns bônus, a reedição aqui disponibilizada saiu em 2006 pela Xeric e reúne os dois lançamentos na íntegra. São 28 faixas em uma hora.

Tanto Morse quanto Gaudylight, de acordo com o encarte, foram gravados em um portastudio Teac, com participações de Jefferies, Mitchell e outros amigos. Digerida a produção, as canções remetem ao Tall Dwarfs e ao Pink Floyd de Syd Barret. Fãs argutos do Grenade e do Neutral Milk Hotel também terão uma surpresa — é de se questionar se Rodrigo Guedes e Jeff Mangum não seriam admiradores de Galbraith. O álbum mais recente, Orb, saiu em 2007.

Alastair Galbraith - More Than Magnetic
Alastair Galbraith - As In a BlenderAlastair Galbraith - Time Please

Mike Rep And The Quotas – Stupor Hiatus Vol. 2

20/06/2009

stupor hiatus

Stupor Hiatus Vol. 2 [1992] <- Download

As primeiras gravações conhecidas de Mike “Rep” Hummel datam aproximadamente de 1975. Foi quando ele registrou em sua casa, entre outras faixas, Rocket To Nowhere e Quasar; que viriam a compor seu primeiro single, lançado pelo selo Moxie apenas em 1978. Numa época em que reinava nas rádios americanas a disco music, ao lado de baladas ultra-polidas e de hard-rocks sulistas virtuosos, não é de se estranhar que a repercussão do compacto tenha sido ínfima — se é que alguma. Não obstante, Hummel manteve-se prolífico nos anos seguintes, acabando por desempenhar um papel crucial no movimento de gravação caseira que viria a explodir na década de 90.

Se Ohio, sua terra natal e residência até os dias atuais, pode ser considerada com justiça a Meca da produção lo-fi mundial, muito se deve à assinatura “LFW” (Lovingly Fucked With), que estampa todo disco a contar com seus talentos de produtor. Foi “amorosamente fodida com” Mike Rep uma enorme lista de bandas de Ohio; entre elas o Guided By Voices, no clássico Propeller, e, mais recentemente, o Times New Viking.

Stupor Hiatus foi lançado em 1992 pela Siltbreeze, reunindo gravações de várias épocas, desde Rocket To Nowhere. As 13 faixas entregam as idéias mais diversas, de influências do pop dos anos 60 e do protopunk (inclusive há uma versão de Sister Ray, do Velvet Underground) até sons que chegam a se aproximar do absurdismo do Ween. Mas, assim como no GBV — e na maioria das bandas com que Mike trabalha —, o mais importante são as canções. E todas aqui valem a pena.

Mike Rep And The Quotas - I Resign
Mike Rep And The Quotas - Basket Of Flowers
Mike Rep And The Quotas - Rocket To Nowhere

Times New Viking – Dig Yourself

31/03/2009

Dig Yourself [2005] <- Download

Mais um disco de uma das bandas atuais preferidas deste blog. Dig Yourself, de 2005, é o primeiro lançamento do Times New Viking, grupo de Ohio que conta com Jared Phillips (guitarra), Adam Elliot (bateria/vocal) e a estonteante Beth Murphy (teclado/vocal). Formado em 2004, o TNV lançou ano passado seu terceiro álbum, o magistral Rip It Off, já postado aqui no Last Splash.

Na estréia, o trio é brutalmente barulhento. Seus vizinhos podem ter a impressão — se você, garoto(a) prudente, for adepto do suicídio auditivo coletivo, em detrimento dos perigosos fones de ouvido — de que tem uma banda de verdade ensaiando no apartamento ao lado.

O Times New Viking é de verdade mesmo.

Times New Viking - Dance Walhalla
Times New Viking - Not High