Posts Tagged ‘psicodelia’

Secret Square – Secret Square

01/02/2011

Secret Square [1995] <- Download

Criado como um projeto paralelo de Hilarie Sidney (então baterista do Apples In Stereo), o Secret Square estreou em 1995, com um 7” pela Elephant 6. Sidney tinha ao seu lado Lisa Janssen, cujo currículo inclui créditos como baixista em On Avery Island, do Neutral Milk Hotel. Ainda em 95, a dupla lançou seu primeiro e único álbum — auto-intitulado, assim como o single.

Secret Square é um dos momentos mais experimentais na discografia da E6. A produção lo-fi torna ainda mais confusa a instrumentação, com camadas de violões, efeitos sonoros e teclados  não raro desdenhando de preceitos musicais básicos (ritmo, afinação, harmonia etc). Mas a força do disco reside justamente na forma com que, apesar de tudo, as vozes suaves de Sidney e Janssen se impõem.

Desconstruções à parte, as onze faixas — sendo as quatro finais listadas como bônus — reúnem composições pop notáveis divididas entre as duas integrantes, além de uma boa versão de Candy Says, do Velvet Underground. Algumas passagens lembram as sombrias incursões acústicas do My Bloody Valentine, enquanto outras aproximam-se da psicodelia naïve mais acessível de seus companheiros de coletivo, e até mesmo do caos dos primórdios do Pavement. Secret Square é de uma singularidade desconcertante; um clássico perdido do indie pop americano.

Special Pillow – Inside The Special Pillow

16/04/2010


Inside The Special Pillow [2003] <-Download

De 86 a 94, Dan Cuddy esteve à frente do Hypnolovewheel, banda que oscilava entre o pop sessentista e o rock alternativo dos anos 80 — principalmente o produzido por Husker Du, R.E.M. e Wire. Após a dissolução do grupo, Dan trocou Long Island pela pacata Hoboken, em Nova Jersey, onde criou o Special Pillow, também bastante influenciado pela década de 60. O debute, Ancienty History, de 96, trazia longas jams psicodélicas, com direito a guitarras de James McNew, baixista do Yo La Tengo e gênio por trás do Dump.

Anos depois, Dan Cuddy acertou a mão em Inside The Special Pillow (2003, Zokto), um álbum repleto de canções curtas, despretensiosas e influenciadas pelo rock alternativo dos anos 90. Sem a companhia de McNew, Dan parece ter ficado à vontade para se inspirar no Yo La Tengo, referência escancarada tanto nas faixas acústicas quanto nos momentos elétricos. O disco só não é impecável devido aos onipresentes arranjos de cordas, que tornam algumas passagens quase tão lamentáveis quanto a capa.  Sleepy Beauty, terceiro e último disco do Special Pillow, saiu em 2006.

Poison Apples

Starlight Mints – Dream That Stuff Was Made Of

19/02/2010

Dream That Stuff Was Made Of [2000] <- Download

O Starlight Mints formou-se em meados da década de 90. Freqüentemente comparado aos conterrâneos do Flaming Lips, o quinteto de Oklahoma  lançou no ano passado seu quarto álbum, Change Remains.

Dream That Stuff Was Made Of, a estréia do Starlight Mints, saiu em 2000 pela Philips. Ao longo de 12 faixas, colidem boas guitarras e violões, vocais masculinos e femininos, cozinha espaçosa e bem-utilizados naipes de sopro e de cordas. A produção competente da própria banda — que já chegou a ter sete integrantes — une sem grandes excessos todos os elementos. Diversas músicas  lembram a carreira-solo de Stephen Malkmus, bem como o Architecture In Helsinki e até mesmo o Blur.

Tall Dwarfs – Fork Songs

06/10/2009

Download

Fork Songs [1992] <- Download

O Tall Dwarfs consiste em Chris Knox e Alec Bathgate. Pioneiros da estética lo-fi, os neozelandezes começaram sua carreira em 1981, com o compacto Three Songs — um dos primeiros títulos da Flying Nun. Os “gnomos altos” lançaram EPs e singles por toda a década, mas seu álbum de estréia, Weeville, só viria em 1990. Fork Songs, de 1992, é uma excelente amostra do estilo da dupla: percussões despojadas substituem a bateria, cobertas por guitarras minimalistas, barulhos estranhos e vocais suaves. A sonoridade  influenciou, entre inúmeros grupos, os americanos da Elephant 6. Destaque para as lindas We Bleed Love e Daddy, e para o reggae (?!) Lowlands. A ótima Life Is Strange se parece com os melhores momentos de Tobin Sprout no Guided By Voices.

Tall Dwarfs - Life Is StrangeTall Dwarfs - Lowlands

Thee Oh Sees – Thee Hounds Of Foggy Notion

29/09/2009

download
Thee Hounds Of Foggy Notion [2008] <- Download

Surgido em 1997 na cidade de São Francisco, o Thee Oh Sees estourou meses atrás com o elogiado Help (In The Red, 2009). A psicodelia que fez a fama de sua terra natal nos anos 60 é uma das referências primordiais, ganhando uma roupagem garageira. Lançado no ano passado em CD e DVD, Thee Hounds Of Foggy Notion deve ser o sexto álbum da confusa discografia da banda, que, neste trabalho, apostou em composições incrivelmente intimistas para quem já fez um split como Intelligence. Tal guinada é reflexo do inusitado processo de gravação, com a banda tocando despretensiosamente pelas ruas de São Francisco, sempre sob as lentes do diretor Brian Lee Hughes.

O disco tem calmas melodias que são suavemente conduzidas para passagens perturbadoras. Fugindo das influências hippies que colorem seus outros discos, as viagens de Thee Hounds estão mais para as experimentações do Velvet Underground – vide a bateria minimalista, os vocais femininos sedutores, os dedilhados econômicos e o clima hipnótico. As faixas são aconchegantes e deliciosamente lo-fi, sem esbarrar na tosqueira prevista para um disco gravado nestas condições.

O vídeo abaixo foi ripado do DVD. Repare que o ruído dos carros acabou se transformando em mais um elemento da música.