Posts Tagged ‘in the red’

The World’s Lousy With Ideas Vol. 8 (VA)

23/12/2009


The World’s Lousy With Ideas Vol. 8. [2009] <- Download

O selo Almost Ready Records surgiu no Brooklyn em 2007. Desde então, seu fundador, Harry Howes, já prensou oito edições da The World’s Lousy Series. Os vinis de sete polegadas compilam bandas americanas que têm recebido o rótulo modista “shitgaze“. Após sete EPs já esgotados, Harry resolveu lançar o oitavo volume no formato LP, reunindo faixas inéditas dos principais nomes do noise pop que tem sido produzido neste fim de década. Então, antes de baixar qualquer mixtape de melhores do ano, te aconselho a ouvir a sensacional The World’s Lousy With Ideas Vol. 8.

Apesar de não constituírem uma cena ou definirem um sub-gênero, as nove bandas selecionadas parecem partir de uma mesma proposta: forjar uma versão suja e urgente para o rock dos anos 60. Esta opção estética permite percorrer diferentes caminhos, que levam, por exemplo, ao indie pop das Vivian Girls, à psicodelia psicótica do Thee Oh Sees e ao som garageiro do Intelligence. Outros dois queridinhos do Last Splash aparecem na coletânea: Times New Viking e Blank Dogs (única em que os anos 80 falam mais alto). E vale mencionar que a maioria dessas bandas já passou pela In The Red, que, depois de uma década de entressafra, está com um cast foda.

Times New Viking - A Lot of Paintings
Guinea Worms - Soiled SenderTyvek - Flowers

O selo Almost Ready Records surgiu no Brooklyn em 2007. Desde então, seu fundador, Harry Howes, já prensou oito edições da The World’s Lousy Series, onde compila, em vinis de sete polegadas, bandas que muitas vezes têm recebido o rótulo modista de shitgaze. Após sete EPs já esgotados, Harry resolveu lançar o oitavo volume no formato LP, e para isso reuniu faixas inéditas dos principais nomes do noise pop que tem sido produzido neste fim de década. Então, antes de baixar qualquer mixtape de melhores do ano, te aconselho a ouvir a sensacional The World’s Lousy With Ideas Vol. 8.

Apesar de não constituírem uma cena ou definirem um sub-gênero, as nove bandas selecionadas parecem partir de uma mesma proposta: forjar uma versão suja e urgente para o rock dos anos 60. Esta opção estética permite percorrer diferentes caminhos, que levam, por exemplo, ao shoegaze das VivianGirls, à psicodelia psicótica do Thee Oh Sees e ao som garageiro do Intelligence. Outras duas bandas queridinhas do Last Splash aparecem na coletânea: Times New Viking e Blank Dogs – a única em que os anos 80 falam mais alto. E vale mencionar que a maioria dessas bandas já passou pela In The Red, que, depois de uma década de entressafra, está com um cast foda.

Thee Oh Sees – Thee Hounds Of Foggy Notion

29/09/2009

download
Thee Hounds Of Foggy Notion [2008] <- Download

Surgido em 1997 na cidade de São Francisco, o Thee Oh Sees estourou meses atrás com o elogiado Help (In The Red, 2009). A psicodelia que fez a fama de sua terra natal nos anos 60 é uma das referências primordiais, ganhando uma roupagem garageira. Lançado no ano passado em CD e DVD, Thee Hounds Of Foggy Notion deve ser o sexto álbum da confusa discografia da banda, que, neste trabalho, apostou em composições incrivelmente intimistas para quem já fez um split como Intelligence. Tal guinada é reflexo do inusitado processo de gravação, com a banda tocando despretensiosamente pelas ruas de São Francisco, sempre sob as lentes do diretor Brian Lee Hughes.

O disco tem calmas melodias que são suavemente conduzidas para passagens perturbadoras. Fugindo das influências hippies que colorem seus outros discos, as viagens de Thee Hounds estão mais para as experimentações do Velvet Underground – vide a bateria minimalista, os vocais femininos sedutores, os dedilhados econômicos e o clima hipnótico. As faixas são aconchegantes e deliciosamente lo-fi, sem esbarrar na tosqueira prevista para um disco gravado nestas condições.

O vídeo abaixo foi ripado do DVD. Repare que o ruído dos carros acabou se transformando em mais um elemento da música.

The Intelligence – Icky Baby

15/08/2009

intelligence

Icky Baby [2005] <- Download

O Intelligence nasceu em Seattle, como um projeto paralelo de Lars Finberg — na época baterista do A Frames, um dos grupos mais caóticos da cidade. A excelente estréia, Boredom And Terror, foi lançada no início de 2004 pela Omnibus, e meses depois pela Narnack. Finberg gravou o disco em sua casa, sozinho, usando a bateria de brinquedo de seu filho. No ano seguinte, já com uma banda completa, veio Icky Baby.

É preciso dizer que esta não é exatamente uma audição tranqüila. Mais doente e bem mais estourado que Boredom And Terror, o segundo álbum do Intelligence, lançado pela In The Red, vem com 13 músicas — que fazem o No Age soar inofensivo. Repetidas audições, contudo, comprovam que Icky Baby é mais do que apenas barulho. Em seus vinte e cinco minutos se encontram ótimas guitarras pontiagudas, um dos melhores timbres de bateria desta década e até mesmo algumas boas e estranhas melodias.

Combina com cereal matinal. Na medida para começar o seu dia com o capeta no corpo.

The Intelligence - Tropical Struggle
The Intelligence - Lifepreserver

Obs.: Saiu em maio o quarto disco da banda, Fake Surfers. Muito recomendado.

Vivian Girls – Everything Goes Wrong

09/08/2009

vivian_everything

Everything Goes Wrong [2009] <- Download

Acabou de vazar, pouco menos de um ano depois da estréia, o segundo disco das Vivian Girls. Everything Goes Wrong tem previsão  oficial para setembro, novamente pela In The Red (a pré-venda já está disponível em algumas lojas), e vem com algumas diferenças básicas em relação ao seu antecessor. Enquanto o primeiro álbum levou três dias para ser gravado, este levou seis. Contra os 21 minutos e dez faixas do lançamento homônimo, temos agora 36 minutos, e três músicas a mais.

Everything Goes Wrong cuida de um aspecto que rendeu algumas críticas para o debute — as faixas agora variam entre menos de dois minutos e mais de quatro, permitindo uma diversidade um pouco maior (não muito) nas composições. Fora isso, os que não gostaram de Vivian Girls não têm grandes motivos para mudar de opinião. O som do trio continua o mesmo, com a mesma enxurrada de guitarras barulhentas e simples, cozinha básica e vocais melódicos. A dificuldade em apontar melhores momentos, mesmo com um tempo maior de duração, também continua; e isso é uma coisa boa. As garotas não desperdiçam plástico — ou espaço em HD. Pode baixar sem medo.

Blank Dogs – Under And Under

07/07/2009

blank dogs

Under And Under [2009] <- Download

Antes mesmo que o público soubesse seu nome, o nova-iorquino Mike Sniper, sob a alcunha de Blank Dogs, já conquistara fama de prolífico com um monte de singles e EPs — espalhados por pequenos selos ao longo de 2007 e 2008. O primeiro álbum, On Two Sides, saiu pela TBC no final do ano passado. Aparentemente, Sniper resguardou por um tempo sua identidade e sua localização geográfica a fim de evitar uma carona no hype de sua vizinhança, o Brooklyn. Afinal, hype é para os fracos. Em compensação, veja só, o mistério agiu como fator de interesse para o Blank Dogs, que, no começo de junho, lançou Under And Under pela In The Red — casa dos vizinhos Crystal Stilts e Vivian Girls, ambos com participações no disco.

Como em On Two Sides, no segundo álbum do Blank Dogs notam-se influências do pós-punk e do synth-rock dos anos 80, em climas densos e boas melodias, que pedem algumas audições para revelar sua força. E, para deixar claro que não é inglês, Mike recusa-se a embalar tudo isso numa produção radio-friendly (ou NME-friendly, se você preferir), optando pela gravação caseira. O resultado é algo entre os nova-iorquinos do Dum Dum Girls — outro nome lo-fi solo do Brooklyn, cuja criadora tem com Mike Sniper um bom projeto paralelo, o Mayfair Set — e do Lansing-Dreiden, grupo também de alto teor oitentista e estrategicamente misterioso.

Blank Dogs - Tin Birds
Blank Dogs - Open Shut

*Repare que a batida de Open Shut é um sample de Schizophrenia, do Sonic Youth.