Posts Tagged ‘guided by voices’

VA – I Stayed Up All Night Listening To Records

23/02/2011

I Stayed Up All Night Listening To Records [1998] <- Download

I Stayed Up All Night Listening To Records foi lançado em 1998 pela lendária Anyway Records, de Columbus, Ohio — pequeno selo em cujo catálogo constam Belreve, Mike Rep, Moviola e Guided By Voices, entre outros. As faixas da compilação foram inteiramente executadas, e quase sempre gravadas, cada uma por um único músico. Com poucas exceções, o material é exclusivo. Não é difícil entender por que o  álbum já foi apelidado de “nuggets lo-fi”: em pouco mais de uma hora de duração, encontram-se amostras de inúmeras vertentes do indie rock caseiro dos anos 90, com canções impecavelmente construídas e bastante ruído dos portastudios de cassete.

Os mestres Tobin Sprout e Robert Pollard, do Guided By Voices, encabeçam a lista de 25 artistas, quase todos naturais de Ohio. O primeiro em seu auge, na irretocável Cryptic Shapes, e o segundo em um de seus momentos menos acessíveis. Lendas locais como Mike Rep, Robert Griffin (Scat Records), Ron House e Don Howland aparecem com músicas dentro da excelente média do resto do disco. James McNew, do Yo La Tengo, sob seu pseudônimo Dump, contribui com a sentimental It’s Not Awright. Destacam-se ainda Ted Hattemer, do Moviola; e Jenny Mae, com a maravilhosa Drapes. Para completar, é intrigante a semelhança absurda que Straight To Neil, do obscuro Earnest, apresenta com o estilo de Lê Almeida.


Bevil Web and 3 Dream Bag – Split 7″

15/07/2010


Split 7″ [1994] <- Download

Qualquer fã do Guided by Voices em sã consciência trocaria a mãe por uma das 2000 cópias deste sete polegadas. Lançado em 94 pela Simple Solution, o split é a prova definitiva de que Robert Pollard não merece todo o crédito pela fase áurea da banda. Don Thrasher, baterista no clássico Propeller, toca nos dois lados do compacto, acompanhando Tobin Sprout no Bevil Web, e fazendo um pouco de tudo no 3 Dream Bag, junto com o também ex-GBV Greg Demos. Um sentimento de melancolia paira sobre o EP, se impregna nas melodias de algumas faixas, enquanto em outras é dissipado pelas guitarras, que, captadas num four-track, repetem a mágica que elevou Bee Thousand e Alien Lanes a obras irretocáveis do indie americano.

Cobra Verde – Egomania (Love Songs)

04/03/2010

Egomania (Love Songs) [1997] <- Download

Para os fãs do Guided By Voices, Cobra Verde é um nome familiar. Após o desmoronamento da formação clássica do grupo de Robert Pollard, sucedendo a exaustiva turnê de Alien Lanes e o trabalho em torno de Under the Bushes Under The Stars, os conterrâneos de Ohio e ex-colegas da Scat Records tornaram-se a nova base do GBV. Conflitos de ego, porém, provocaram a dissolução precoce e pouco amistosa da parceria.

O Cobra Verde surgiu em Cleveland, das cinzas do Death Of Samantha — banda esquizofrênica dos anos 80 que lançou três ótimos álbuns pela Homestead, admirados por Pollard. Viva La Muerte, estréia do novo projeto, saiu pela Scat em 1994. Três anos depois, Egomania (Love Songs) foi lançado. Trata-se de uma compilação de faixas contidas em singles, EPs e coletâneas. É fácil reconhecer, sob os vocais soturnos do líder John Petkovic, o instrumental muscular que serviu bem ao clássico Mag Earwhig!. As dez músicas são fortes e divertidas, lembrando bandas como o Mono Men e o Blues Explosion. Chinese Radiation é uma versão do Pere Ubu, Underpants é do Easter Monkeys e Never My Love do Association. Still Breaking Down, melhor canção do disco, traz uma palinha do tio Bob no refrão.

Petkovic e Tim Parnin (guitarrista do CV) recentemente formaram uma banda com J Mascis e Dave Sweetapple (Witch), o Sweet Apple. Em breve falamos mais deles.

Cobra Verde - Still Breaking Down
Cobra Verde - Everything To You

The Breeders – Head To Toe EP

26/12/2009

Head To Toe [1994] <- Download

Head To Toe, de 1994, foi o último lançamento do Breeders por oito anos — até o disco Title TK, de 2002. Produzido por J Mascis, o EP conta com quatro faixas em oito minutos e meio. A abertura é a inédita faixa-título, primeira música assinada pela baixista Josephine Wiggs no Breeders. Temos uma versão de Shocker In Gloomtown, do Guided By Voices, conterrâneos de Kim Deal; e Saints vem ao final, num registro diferente do que aparece no álbum que dá nome a este blog. A grande curiosidade é a versão do hit The Freed Pig, do Sebadoh, que seria justamente a respeito de J Mascis e sua relação com Lou Barlow na época em que Barlow era baixista do Dinosaur Jr — análoga, de certa forma, à oposição entre Deal e Black Francis no Pixies. Relatos duvidosos afirmam que Mascis não reconheceu a canção ao ouvi-la tocada pelo Breeders, e por isso insitiu em gravá-la.

The Breeders - The Freed Pig

Boston Spaceships – Zero To 99

20/10/2009

download
Zero To 99 [2009] <- Download

Não estou conseguindo acompanhar todos os discos lançados por Robert Pollard este ano.  Alguns acabaram nem sendo citados no blog, negligência que não poderia se repetir neste terceiro álbum do Boston Spaceships – banda em que também tocam Chris Slusarenko (ex-GBV) e John Moen (The Decemberists).  Zero to 99 é bastante influenciado pelos anos sessenta, passando pelos clichês de forte apelo pop até chegar em momentos mais garageiros e psicodélicos. É o melhor registro do trio até agora, e parte deste êxito se deve às participações especiais de Sam Coomes (Quasi), Scott McCaughey (Minus 5) e Peter Buck (R.E.M.). Mr. Ghost Town, com um riff  60’s contagiante, é a música mais legal de Pollard em 2009.

Mr. Ghost Town