Posts Tagged ‘garage’

Sandy City – Nice Hat 7″

13/08/2010

Nice Hat [2010] <- Download

O Sandy City vem da pequena Westport, cidade portuária próxima de Seattle. Nice Hat é o single de estréia da banda, recém-lançado pela Prty Ngg Records. O 7″ traz três faixas: a irretocável Graces no lado A, e as ótimas Area Zeros e We Want The Fun no lado B. Com uma das melhores produções lo-fi dos últimos tempos, o Sandy City faz um surf pop tosco e ensolarado. O quarteto tem uma demo em cassete pela Fox Pop, e lançará em breve um EP pela Lost Sound Tapes, selo fundamental de Seattle encabeçado por Jon Manning, do Blanket Truth — que toca baixo no Sandy City. Completam a formação Zach Burba (líder do iji) na bateria, e nas guitarras Chris McFarlane (IndiePages) e Elijah (iji e Blanket Truth). Nice Hat é um dos melhores compactos do ano, essencial para fãs de Wavves, Ty Segall, Surf City, e para todos que se interessam pela atual cena garage-surf. O 7″ está à venda no Brasil na loja virtual da Pug Records.

Ty Segall – Melted

31/05/2010


Melted [2010] <-Download

Antes de dar início a uma próspera carreira solo, o americano Ty Segall já havia passado pelo Epsilons, banda com raízes nos anos 60 e no proto-punk. Nome badalado em publicações de uns meses pra cá, a veia garageira de Segall parece ter sobrevivido ao hype, pois Melted, seu terceiro registro solo, acaba de ser lançado peloa cultuada Goner Records – selo comandado pelo ex-Oblivians Eric Friedl. Embora menos tosco do que seus antecessores, o álbum mantém o punch de sempre, com riffs impregnados de fuzz, batidas dançantes e vocais dementes. Em 30 minutos, Segall enfileira petardos com marcantes melodias pop, que conseguem fugir das composições caricatas típicas de revivalistas do rock sessentista. Recomendado para fãs de The Hives, JSBX, Condo Fucks, Intelligence e de toda a cena shitgaze atual.

Top Surprise – Everything Must Go (EP)

12/05/2010


Everything Must Go [2010] <-Download

Para a Top Surprise, o mundo parece ter começado nos anos 80 – quando seus integrantes nasceram, e as guitarras adquiriram um volume insuportável. Então, de certa forma, nomes como J. Mascis e Thurston Moore fizeram o big bang do que culminaria no som do quarteto da provinciana Juiz de Fora, Minas Gerais. Ainda nos anos 90, as gravações lo-fi do Guided By Voices transmitiram uma mensagem DIY muito mais contundente para as gerações X e Y (sim, é onde estamos agora) do que qualquer uma anterior. Mas a Top Surprise sabe que ruídos caseiros, ainda que maravilhosos, não enchem os bolsos de ninguém. Daí surge o contorno pop das melodias, que deixariam Phil Spector orgulhoso – ou talvez surdo.

Everything Must Go, estréia do Top Surprise, foi produzida por Lê Almeida (Coloração Desbotada) e Paulo Casaes (Fujimo) em dois dias de bebedeira no apartamento dos irmãos André e Daniel. Vocais foram gravados no banheiro, guitarras na sala e bateria no quarto do pai, para desespero dos vizinhos. O resultado soa tão forte quanto qualquer álbum recente rotulado como “shitgaze” – mas com um requinte estético que só quem trabalhou no ramo do telemarketing poderia conceber. Guitarras histéricas e batidas indelicadas explodem sobre as composições, com backing vocals femininos assemelhando-se a abelhas dentro das caixas de som. Da óbvia admiração pelo college rock americano a toques de pós-punk, o EP termina em uma incursão ao território de Jeff Mangum e Elliott Smith. Prova de que até mesmo a sincrética “geração Y” é capaz de momentos de ternura, ainda que em meio ao caos.

Everything Must Go é o segundo álbum da Pug Records. A versão em K7 está disponível na loja do selo.

More Than Cool

I Shoot The Devil

Cobra Verde – Egomania (Love Songs)

04/03/2010

Egomania (Love Songs) [1997] <- Download

Para os fãs do Guided By Voices, Cobra Verde é um nome familiar. Após o desmoronamento da formação clássica do grupo de Robert Pollard, sucedendo a exaustiva turnê de Alien Lanes e o trabalho em torno de Under the Bushes Under The Stars, os conterrâneos de Ohio e ex-colegas da Scat Records tornaram-se a nova base do GBV. Conflitos de ego, porém, provocaram a dissolução precoce e pouco amistosa da parceria.

O Cobra Verde surgiu em Cleveland, das cinzas do Death Of Samantha — banda esquizofrênica dos anos 80 que lançou três ótimos álbuns pela Homestead, admirados por Pollard. Viva La Muerte, estréia do novo projeto, saiu pela Scat em 1994. Três anos depois, Egomania (Love Songs) foi lançado. Trata-se de uma compilação de faixas contidas em singles, EPs e coletâneas. É fácil reconhecer, sob os vocais soturnos do líder John Petkovic, o instrumental muscular que serviu bem ao clássico Mag Earwhig!. As dez músicas são fortes e divertidas, lembrando bandas como o Mono Men e o Blues Explosion. Chinese Radiation é uma versão do Pere Ubu, Underpants é do Easter Monkeys e Never My Love do Association. Still Breaking Down, melhor canção do disco, traz uma palinha do tio Bob no refrão.

Petkovic e Tim Parnin (guitarrista do CV) recentemente formaram uma banda com J Mascis e Dave Sweetapple (Witch), o Sweet Apple. Em breve falamos mais deles.

Cobra Verde - Still Breaking DownCobra Verde - Everything To You

The World’s Lousy With Ideas Vol. 8 (VA)

23/12/2009


The World’s Lousy With Ideas Vol. 8. [2009] <- Download

O selo Almost Ready Records surgiu no Brooklyn em 2007. Desde então, seu fundador, Harry Howes, já prensou oito edições da The World’s Lousy Series. Os vinis de sete polegadas compilam bandas americanas que têm recebido o rótulo modista “shitgaze“. Após sete EPs já esgotados, Harry resolveu lançar o oitavo volume no formato LP, reunindo faixas inéditas dos principais nomes do noise pop que tem sido produzido neste fim de década. Então, antes de baixar qualquer mixtape de melhores do ano, te aconselho a ouvir a sensacional The World’s Lousy With Ideas Vol. 8.

Apesar de não constituírem uma cena ou definirem um sub-gênero, as nove bandas selecionadas parecem partir de uma mesma proposta: forjar uma versão suja e urgente para o rock dos anos 60. Esta opção estética permite percorrer diferentes caminhos, que levam, por exemplo, ao indie pop das Vivian Girls, à psicodelia psicótica do Thee Oh Sees e ao som garageiro do Intelligence. Outros dois queridinhos do Last Splash aparecem na coletânea: Times New Viking e Blank Dogs (única em que os anos 80 falam mais alto). E vale mencionar que a maioria dessas bandas já passou pela In The Red, que, depois de uma década de entressafra, está com um cast foda.

Times New Viking - A Lot of PaintingsGuinea Worms - Soiled SenderTyvek - Flowers

O selo Almost Ready Records surgiu no Brooklyn em 2007. Desde então, seu fundador, Harry Howes, já prensou oito edições da The World’s Lousy Series, onde compila, em vinis de sete polegadas, bandas que muitas vezes têm recebido o rótulo modista de shitgaze. Após sete EPs já esgotados, Harry resolveu lançar o oitavo volume no formato LP, e para isso reuniu faixas inéditas dos principais nomes do noise pop que tem sido produzido neste fim de década. Então, antes de baixar qualquer mixtape de melhores do ano, te aconselho a ouvir a sensacional The World’s Lousy With Ideas Vol. 8.

Apesar de não constituírem uma cena ou definirem um sub-gênero, as nove bandas selecionadas parecem partir de uma mesma proposta: forjar uma versão suja e urgente para o rock dos anos 60. Esta opção estética permite percorrer diferentes caminhos, que levam, por exemplo, ao shoegaze das VivianGirls, à psicodelia psicótica do Thee Oh Sees e ao som garageiro do Intelligence. Outras duas bandas queridinhas do Last Splash aparecem na coletânea: Times New Viking e Blank Dogs – a única em que os anos 80 falam mais alto. E vale mencionar que a maioria dessas bandas já passou pela In The Red, que, depois de uma década de entressafra, está com um cast foda.