Posts Tagged ‘discografia’

TBO – Stop Talking About Music, Let’s Celebrate That Shit

18/01/2009

stop
Stop Talking About Music, Let’s Celebrate That Shit [2005] <- Download

A despedida recupera um pouco da sonoridade suja e urgente. A moral da banda estava alta na época, tanto que o disco foi produzido pelo Tim Kerr e lançado pela gravadora suíça Voodoo Rhythm. Drama Queen e Knock You Out são dois boogies toscos, o tipo de som que o Marco faz em sua carreira solo, sob a alcunha de Uncle Butcher. Os já tradicionais petardos blues-punk são representados por Right Now e Long White Back. Coconut Heart, o blues mais grudento que já ouvi, e Don’t Ask me Why, cujo refrão é um convite ao mosh, são as melhores.

Não convém me prolongar na resenha de um disco com este nome. Então é isso, baixe os álbuns postados aqui e celebre o punk-blues-garage-soul de uma das banda mais legais do mundo. Depois disso, tenho certeza que você vai fazer de tudo para assisti-los ao vivo.

ps. Esses quatro são apenas os álbuns oficiais. Ainda tem uma coletânea de b-sides e várias demos lançadas em K7 e CD-R. Aos poucos a gente coloca esses aqui também.

TBO – What About Now?

18/01/2009

what
What About Now? [2004] <- Download

What About Now? é o disco mais produzido dos Butchers. Foi a primeira vez em que não gravaram ao vivo, e a produção, dividida entre a banda e Clayton Martin (Detetives), deixou tudo mais nítido, com as guitarras ainda mais destacadas. Vale mencionar que Clayton é quase um quarto integrante da banda, tendo praticamente co-produzido todos os lançamentos depois de Golden Hits.

Boa parte das músicas tem um astral festeiro, vide os riffs incendiários de My Dirty Fingers e o clima glam de Johnny Thunders – que passa longe de ser uma homenagem ao guitarrista do New York Dolls. Bunch of Losers é a mais punk, e deve ter sido inspirada em I Got a Right. Outro momento que lembra os Stooges é o sax esquizofrênico de Smart Went Crazy.

A faixa que melhor representa o amadurecimento da banda é a sensual Blue Moon. A estrutura da música, a maneira como as guitarras se complementam e a suavidade dos vocais impressionam quem está acostumado com as primeiras tosqueiras gravadas pelos açougueiros. Mais uma vez, os momentos bluseiros servem pro ouvinte recuperar o fôlego, como na rústica Hot Meal.

TBO – In Glorious Rock’ n’ Roll

17/01/2009

glorious
In Glourious Rock’ n’ Roll [2002] <- Download

Aqui os Butchers soam um pouco menos sujos do que na estréia. A produção foi do ex-Gories Dan Kroha, que levou um pouco da sensualidade de sua banda atual, o Demolition Doll Rods, para o TBO. Dan fez as guitarras dialogarem de maneira mais atraente, sem deixarem de soar toscas e diretas. Tem ainda a adição de backing vocals mais musicais, inclusive vozes femininas com uma pegada gospel.

A maioria das músicas mantém a linha Jon Spencer-Stooges-Stones do Golden Hits. Exemplos de porradas nesse estilo não faltam, como Ninety Nine, Rock’n’Roll Medicine e Both Feet On The Highway. Sobram alguns momentos com uma queda maior para o blues, como na punk Take You Down e nas arrastadas Break It Up e Pussycat On Fire, dois raros momentos em que eles deixam o ouvinte respirar.

TBO – Golden Hits by…

16/01/2009

golden
Golden Hits by… [2001] <-Download

A sonoridade deste disco é inspirada no blues garageiro produzido por Pussy Galore e Gories nos anos 80, mesmo caminho seguido pelos Oblivians no começo da década seguinte. O Pussy Galore, na boa definição de Greil Marcus, era um ataque à auto-censura, e nem todo mundo tem estômago pra escutar aquilo. O Gories soava minimalista demais, uma desconstrução necessária para o blues recuperar seu espírito subversivo. E os Oblivians tinham um formato mais convencional: duas guitarras e uma bateria normal – nada de peças automotivas ou de mina batendo uma caixa totalmente fora do ritmo. Mas ainda extrapolava o limite do tosco para a maioria das pessoas.

Então vieram os Butchers, e pra gostar deles você não precisa ter entendido porra nenhuma do parágrafo acima. Golden Hits disputa com Now I Got Worry, do Blues Explosion, o título de “disco que os Stones fariam se fossem adolescentes nos anos 90”. Escute She Said, Got Me in a Hook e White Skin Devil na seqüência e você, principalmente se tiver usado algum aditivo, vai pensar “puta que pariu, essa é a melhor banda de rock do mundo”.

Thee Butchers’ Orchestra – Discografia

16/01/2009

tbo
Saiu essa semana, via Flávia Durante, a notícia que nem os fãs mais esperançosos do Thee Butchers’ Orchestra tinham coragem de esperar: a banda deve se reunir, muito em breve, para algumas apresentações. O Adriano, mais conhecido atualmente como baixista/produtor do CSS, está no Brasil em férias, e, além da reunião do TBO, pretende produzir material novo de dois de seus inúmeros projetos pré-fama-internacional: Ultrasom, banda antigona que chegou a contar com a Carol Parra do CSS na guitarra, e caxabaxa, projeto trash sensacional que reuniu um monte de gente legal na época, de integrantes do Cansei ao artista Carlos Dias.

Para comemorar, e para quem ainda não teve o prazer de conhecer uma das melhores bandas brasileiras de todos os tempos, aí vai a discografia do TBO.

*E é bom lembrar que você pode conseguir todos os CDs por um preço camarada mandando um e-mail para ordinary@uol.com.br