Posts Tagged ‘broken social scene’

By Divine Right – All Hail Discordia

20/12/2010


All Hail Discordia [1997]

Depois de quase dez anos lançando fitas demo, o By Divine Right debutou com All Hail Discordia (Nettwerk, 1997). Despido das ornamentações de seus sucessores, o disco evidencia os riffs de Miguel Contreras – talvez o mais próximo que uma guitar band já chegou do rock setentista – e as inventivas estruturas de suas composições. Refrãos são protelados por alguns segundos, valorizando os arranjos que os antecedem e, sobretudo, valorizando a si mesmos – artifício que Feist e Brendan Canning, ex-parceiros de Contreras, aprimoraram no Broken Social Scene. Mas, em All Hail Discordia, a dinâmica instigante não impede que as músicas tenham um formato pop, tanto é que as faixas beiram os dois minutos e, muitas vezes, soam como se o Noise Addict tivesse surgido num país gelado como o Canadá.

Broken Social Scene – Lo-Fi For The Dividing Nights

06/05/2010

Lo-Fi For The Dividing Nights EP [2010] <- Download

Pouquíssimos nomes deixaram uma efetiva marca na década recém-finada como o Broken Social Scene. Os canadenses foram uma das bandas mais influentes no que o futuro enxergará como o indie dos anos 00. Eis que a década acaba, e o que está feito está feito. Inúmeros grupos adotaram o método coletivo — e teoricamente caótico — de produção, muitos com bons resultados. A postura descompromissada, em contraste com a exuberância e a multiplicidade do som, não são mais novidade, embora ainda reverberem com vigor.

O disco novo do BSS, Forgiveness Rock Record, resgata as raízes mais pop do super-grupo. Lembra pouco a obra-prima You Forgot It In People, por exemplo, que demandava paciência e atenção para se encontrar o núcleo pop das composições sob as intrincadas estruturas e os arranjos experimentais. As 15 faixas do quarto álbum aproximam-se do By Divine Right, ótima banda pela qual passaram Brenden Canning e Feist nos anos 90. Conquanto ainda venham impecavelmente orquestradas, são mais imediatas, mais tradicionais.

Durante o tempo livre na produção de FRR, os integrantes do coletivo foram aos poucos registrando novas idéias, de forma direta e rápida. Notaram, por fim, que aquelas faixas compunham algo distinto — mais do que demos, apontavam para uma nova direção. Lo-Fi For The Dividing Nights está sendo oferecido para download gratuito na encomenda do novo disco. Predominantemente instrumentais, suas dez músicas — mais climáticas do que o conteúdo de seu irmão maior, e definitivamente mais soturnas e delicadas — lembram nomes como o Microphones, e os momentos de maior experimentação da Elephant 6. Em geral, não soam como sobras. Juntamente com Forgiveness Rock Record, Lo-Fi For… marca o início de uma nova fase para o BSS. Uma boa fase, ao que tudo indica.

Broken Social Scene - Song For Dee
Broken Social Scene - Paperweight Room

Spiral Stairs – The Real Feel

08/10/2009

download
The Real Feel [2009] <- Download

Após dois discos solo sob o nome de Preston School of Industry, Scott Kannberg voltou a assinar como Spiral Stairs — o mesmo pseudônimo usado para creditá-lo nos encartes do Pavement. Talvez seja uma tentativa de pegar carona no retorno da banda, já que o ótimo Preston School passou despercebido por muitos fãs em potencial. Previsto para 20 de outubro, The Real Feel será lançado na Inglaterra pela Domino e nos Estados Unidos pela Matador. Além dos amigos que já contribuíam no PSOI, participaram deste álbum integrantes do Posies, e Kevin Drew, do Broken Social Scene. Durante uma desatenta primeira audição, tive a impressão de que Scott conseguiu conciliar a essência alt-country de Moonson com as melodias soltas e as guitarras desconexas de All This Sounds Gas.

Cold Change

Evangelicals – The Evening Descends

31/08/2009

Download

The Evening Descends [2008] <- Download

Os Evangelicals vêm do relativamente infértil estado americano de Oklahoma. É natural, portanto, que a principal comparação sofrida por eles seja para com o grupo de Wayne Coyne, filhos indies mais conhecidos daqueles lados do Bible Belt. Não que o cotejo não proceda — dos vocais esganiçados ao apurado senso espacial, vários elementos fazem lembrar seus conterrâneos. Mas o título “irmãos menores do Flaming Lips” é um exagero.

A princípio resumindo-se ao vocalista e guitarrista Josh Jones, apenas com seu primeiro disco já em produção a banda passou a contar com Austin Stephens (bateria) e Kyle Davis (baixo). So Gone saiu em 2006, pela Misra. Traz, além do Flaming Lips, afinidades com a Elephant 6, e principalmente com o Broken Social Scene.

O segundo álbum do Evangelicals foi lançado pela Dead Oceans (atual casa do Akron/Family e de John Vanderslice) em janeiro de 2008.  The Evening Descends continua de onde a estréia parou: o ouvinte é imerso em um mar de guitarras de todo tipo, melodias marcantes e os mais variados sons do espaço sideral; tudo encharcado de reverb. O trio ainda assimilou, com bastante naturalidade, o extraordinário senso pop do Clap Your Hands Say Yeah.

Lá pelos três quartos do disco você começa a enrugar, é verdade — a menos que tenha escamas, guelras e o resto do aparato. Algumas pessoas têm. É um belo mergulho, de qualquer forma.

Evangelicals - Midnight Vignette
Evangelicals - Stoned Again

By Divine Right – Bless This Mess

10/06/2009

bdr
Bless This Mess [1999] <-Download

Surgido em Toronto em 1989, o By Divine Right tem como único integrante fixo o guitarrista e vocalista José Miguel Contreras. Entre os vários músicos que o acompanharam por essas duas décadas estão Brendan Canning (baixo) e Leslie Feist (guitarra), que participaram do ótimo Bless This Mess, de 99. Após o lançamento, Canning deixou a banda para formar o coletivo Broken Social Scene – contando a partir do segundo álbum com o reforço da voz perfeita de Feist.

Apesar de Contreras monopolizar as composições, é possível perceber semelhanças com as suaves melodias criadas pelo Broken Social Scene, mas sem a sofisticação e riqueza de detalhes proporcionadas pelas várias cabeças do coletivo canadense. Enquanto o apelo pop do Broken Social Scene por vezes fica disfarçado em meio às elaboradas camadas de guitarras que o envolvem, o By Divine Right aproxima-se mais da concepção radiofônica de “pop” – boa parte do tempo, a influência do Big Star se sobrepõe à do Pavement e do Pixies.