Posts Tagged ‘2010’

Eternal Summers – Silver

11/12/2010

Silver [2010] <- Download

O Eternal Summers consiste em Nicole Yun (guitarra e vocal) e Daniel Cundiff (bateria). A dupla vem de Roanoke, no estado americano da Virginia, e acaba de lançar seu álbum de estréia. Sucedendo o EP homônimo de 2009, Silver saiu pela Kanine Records (Grizzly Bear, Surfer Blood, Depreciation Guild) no final de setembro. São 32 minutos e 12 faixas, que honram a tradição indie pop minimalista de nomes como Beat Happening, Lois, Felt, Young Marble Giants e Oh-Ok.

Se o material não pode ser classificado como lo-fi, também fica longe do lustroso debute do Best Coast. Não há grandes abusos de reverb, fuzz ou qualquer artifício de estúdio, além das sutis dobras na voz de Nicole. Embora minimalista, o som é cheio e confortável. A produção confere presença às guitarras limpas e principalmente às batidas primitivas — adornadas com bom uso de meia-lua e chocalhos. Ocasionais backing vocals, de Daniel ou em overdubs da sempre suave Nicole, completam os arranjos.

Cinema Red and Blue – Cinema Red and Blue

05/11/2010


Cinema Red and Blue [2010] <- Download

Encabeçado por integrantes do Comet Gain, o Cinema Red and Blue reúne músicos que até então apareciam apenas em notas de rodapé da biografia do grupo liderado por David Feck. Nos créditos do debute homônimo, lançado em setembro pela What’s Your Rupture?, consta a participação da ex-Aislers Set e ex-Henry’s Dress Amy Linston (responsável por umas palminhas no álbum Réalistes), do neozelandês Hamish Kilgour (baterista do The Clean, banda coverizada em shows do CG), de membros do Crystal Stilts (que participaram do EP I Never Happened) e de outros coadjuvantes. Num tracklist dividido entre covers e faixas autorais, David Feck parece dispensar a ajuda dos colaboradores para compor suas costumeiras ótimas canções – o que não deixa de ser frustrante. Recomendado para os que apreciam o lado mais mod do Comet Gain.

Big Troubles – Worry

21/10/2010


Worry [2010] <- Download

Formado em 2009 por Ian Drennan e Alex Craig, o Big Troubles lançou recentemente seu disco de estréia pela OESBEE Records. Com um dream pop de timbres estourados, Worry é uma bela amostra do quanto o underground americano tem a oferecer aos que prezam por melodias pop e suportam camadas de distorção. A Rough Trade foi certeira ao defini-los: “My Bloody Valentine com restrições orçamentárias, mas alguns idiotas deixaram as batidas eletrônicas do Big Black ao fundo”. Soa como se o Times New Viking interpretasse as composições do Wild Nothing, sujando cada acorde, sem, no entanto, conseguir soterrar as dançantes linhas de baixo à la Peter Hook. Destaque para a Freudian Slips, que mais parece The Pains of Being Pure at Heart com Billy Corgan nos vocais, Drastic And Difficult, um petardo ruidoso e urgente semelhante aos do Surf City, e Creeper, que remete aos momentos mais desleixados do Lilys.

Desconsidere qualquer lista de melhores do ano que não cite a estréia do Big Troubles.

Carpete Florido – Meus Heróis

15/10/2010

Meus Heróis [2010] <- Download

Saiu há alguns dias o segundo EP do Carpete Florido, uma das bandas mais antigas do crescente cast da Transfusão Noise Records. Liderado por Evandro Fernandez, baixista da banda de Lê Almeida, o Carpete segue à risca a fórmula campeã desenvolvida pelo selo da baixada, com guitarras altas, vocais melódicos e excelente produção lo-fi de quintal — a cargo da dupla Lê Almeida / Paulo Casaes, que desta vez se arriscou exclusivamente em cassete, com ótimo resultado.

Meus Heróis traz oito canções, de temática principal sempre relacionada à amizade. As letras de Evandro são simples e ternas, honestas e diretas. Destaque para  a belíssima capa, com foto de Amanda Dias e arte de Laurindo Feliciano.

Elf Power – Elf Power

28/09/2010

Elf Power [2010] <- Download

Este tem sido um ano agitado para a Elephant 6. Com o sólido e acessível Travellers In Space And Time, o Apples In Stereo se atirou de cabeça nas pistas, conquistando novos fãs que nunca haviam ouvido falar na banda ou no coletivo de Athens. O Of Montreal continua na trilha pop que vinha seguindo na última década, com o recém-lançado False Priest, considerado por muita gente um dos melhores discos do grupo; e o Olivia Tremor Control — que esteve inativo por um bom tempo, enquanto Will Cullen Hart se dedicava ao Circulatory System — já liberou a primeira faixa (bem louca, aliás) de seu novo trabalho, atualmente em produção.

Soma-se agora à lista mais um dos nomes-chave da E6. O Elf Power acaba de lançar, pela Orange Twin, seu décimo álbum. Elf Power é uma obra contemplativa, de belas canções, com as marcas da banda e de seus colegas. Arranjos caprichados; guitarras, teclados e vocais suaves, remetendo aos anos 60; pinceladas de folk. A produção, menos cósmica e mais funcionalista do que nos tempos de David Fridmann, é do baixista Derek Almstead (ex-Of Montreal e Summer Hymns), como nos dois últimos discos. Não obstante, as melodias redondas e a voz de Andrew Rieger continuam permitindo paralelos com o Flaming Lips. O álbum é dedicado a Vic Chesnutt, brilhante cantor folk cadeirante, patrimônio de Athens, que cometeu suicídio no último natal. Coisas da vida.

Momento Mãe Dináh: 2011 será o ano em que Jeff Mangum sairá da toca pra valer, e a volta estará completa. Vamos torcer.